Tenho encontrado dificuldades para estudar questões ligadas ao comportamento não verbal por conta desse tem não ter sido foco da psicologia social durante anos e também porque parece não haver muitas pesquisas rigorosamente experimental acerca do tema, diante de tão premente dificuldade, elaboraremos um resumo da seção comportamento não verbal do livro psicologia social do professor Aroldo Rodrigues da Universidade da Califórnia.
Segundo Rodrigues (2012) aspectos não verbais influenciam na percepção que as pessoas fazem acerca de outras pessoas. Rodrigues defendeu que a comunicação sem palavras inclui gestos, posturas, olhares, posição corporal no espaço, tom de voz, ritmo e inflexões.

Depaulo e Friedman (1998 apud Rodrigues 2012) procuram fazer um breve histórico do desenvolvimento deste tópico, eles destacam algumas áreas de estudo, a saber, “pistas não-verbais na percepção pessoal e na conversação, expressividade, detecção de mentiras, influência social e atração. A edição de 2010 do Handbook também inclui um capítulo sobre o assunto (Ambady e Weisbuch, 2010)”.

Rodrigues (2012) ressalta a importância da linguagem não-verbal na “adaptação ao mundo social, nos domínios da emoção e na questão do controle, uma vez que boa parte de nossa expressão não-verbal não é passível de regulação consciente” e lembra que os autores chamam atenção para o contexto social na formação da personalidade, defendeu que percepção e julgamentos sociais por parte de adultos baseiam-se em comportamentos não-verbais e apontou que a detecção de mentiras é difícil de fazê-lo, ‘como a maioria dos estudos têm demonstrado’ e das diferenças culturais e de gênero (mulheres mais precisas do que os homens)’.

Rodrigues (2012) indicou que a expressão facial de emoções é um fenômeno que possui amplitude mundial cujo reconhecimento da emoção é um fenômeno encontrado através dos tempos e de culturas.
Elfenbein e Ambady (2002 apud Rodrigues 2012) “conduziram uma meta-análise incluindo 22.148 participantes de 42 países que confirmou que por todo o mundo as pessoas são capazes de reconhecer emoções reproduzidas em expressões faciais”.

Rodrigues (2012) argumentou que comportamento não verbal como movimento das mãos, posturas corporais, gestos, movimentos dos olhos, aperto de mão, etc. produzem informações que são processadas pelo percebedor e incorporadas à impressão que forma de outras pessoas.

Rodrigues (2012) descreve um estudo de Pickett, Gardner e Knowles (2004) que apontou que quanto mais interessados estamos em que a pessoa observada goste de nós e nos aceite, mais eficientes somos na interpretação destes comportamentos.

Rodrigues (2012) argumenta sobra a importância da entonação verbal e descreve a pesquisa conduzida por Kruger e cols. (2005)

20 afirmações foram apresentadas por email ou por mensagem telefônica e os participantes foram solicitados a indicar quais destas afirmações eram sarcásticas e quais não eram. Embora os que enviaram as afirmações esperavam que seu significado sarcástico ou não fosse igualmente entendido independentemente do meio de comunicação, na realidade a comunicação por recado telefônico foi muita mais bem entendida do que a transmitida por email.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.