Tradução feita por Noreen C. de Aguirre e Hélio José Guilhardi, baseada na publicação do texto em Skinner, B. F. (1999). Cumulative Record. B. F. Skinner Foundation: Cambridge,MA.

Segundo Skinner o homem se esforça pra achar a causa dos seus comportamentos, mas cada vez mais o comportamento do homem está sendo plausivelmente relacionado a historia genética e ambiental.
O bom mentalista atribui o comportamento a um drama encenado no espaço não físico, dividindo o sujeito em partes em que cada traz uma parte da vida mental. Isso é considerado um erro, por conta de estabelecer uma relação de causa e efeito.
Enquanto o cientista relaciona o comportamento o mentalista insiste que há um mundo chamado subjetividade. O cientista tenta mostra que há uma relação entre as variáveis e que elas aparecem em uma ordem, já o mentalista não. Uma analise cientifica bem feita dispensa o uso das explicações internas.
Existem certas características do comportamento humano que parecem ser negligenciadas e sua ausência é mais ameaçadora que qualquer implicação sobre a natureza da consciência.
Antes dos mentalistas explicarem a história humana, deveriam explicar-se a si mesmos.
Quanto autoconhecimento, é melhor ensinar o sujeito a examinar cada nova ocasião aplicando certas regras para chegar a uma resposta apropriada, essa é a nossa pratica de ensinar.
Segundo Skinner a liberdade é o produto de uma historia de condicionamento. O senso de retidão e justiça vem do ambiente.
As medidas preventivas são provavelmente mais válidas. As medidas preventivas são melhores e mais validas que as punitivas um problema é o autocontrole e a responsabilidade social alem da luta intelectual.
Qualquer tecnologia, física ou social que reduza a punição reduz a necessidade de autocontrole e responsabilidade social.

Adoramos pessoas que se controlam e seguem padrões éticos e morais porque isso nos é reforçador porque o individuo é forçado a se adaptar aos interesses de outros.e adoramos o comportamento a fim de mante-los
Os homens controlam sua historia genética e ambiental e nesse sentido realmente controlam a si próprios. A ciência e a tecnologia preocupam se em mudar o mundo no qual o homem vive e as mudanças são feitas precisamente por causa de seus efeitos sobre o comportamento humano.
Os homens controlam a si próprios controlando o mundo que vivem
Não é fácil aceitar que o homem é quem controla seu próprio destino, mas é surpreendente que a concepção de homem não precisasse de revisão
O comportamento humano é extraordinariamente complexo e é improvável que uma explicação verdadeira definitiva tenha sido ou seja alcançada tão cedo. O homem sobrevive imutável
Segundo Skinner a física não muda a natureza do mundo que estuda e nenhuma ciência do comportamento mudará a natureza essencial do homem embora ambas forneçam um vasto poder de manipular objetos.
A ciência nos leva a ver o homem sob a luz do diferente
Se devemos ter algo para admirar que seja a prontidão do homem em rejeitar um retrato equivocado de si mesmo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.