Segundo o autor a psicanálise é uma psicologia que deve ser tratada como uma ciência naturalista. Indica os impulsos e instintos como força motivadora no comportamento humano. A psicanálise mostrou que o consciente é um pedaço pequeno da psique do sujeito e que muitos impulsos decisivos são inconscientes. Desmascarou as ideologias pessoais e coletivas de desejos e necessidades que são oriundas dos instintos e nossos motivos morais e idealísticos são expressões disfarçadas e racionalizadas de impulsos. Segundo o autor Freud categorizou os instintos auto-preservação e sexuais e esses são motivadores na vida psíquica do homem. Libido é o rotulo dado aos instintos sexuais e os seus processos.
Principio da atividade psíquica seria o prazer, acarretar prazer descarregando as tensões, o principio do prazer é mudado pelo da realidade que nos obriga a protelar a ou renunciar o prazer com o intuito de evitar o desconforto ou alcançar prazer ainda maior em outra hora.
A estrutura instintiva do individuo para Freud seria condicionada por dois fatores, heranças biológicas herdadas e experiências da vida, sobretudo as primeiras da infância isso forma uma cadeia complementar sendo o papel da analise explorar e descobrir a influencia das experiências do individuo sobre a constituição instintiva herdada. O método analítico procura s estrutura dos instintos na biografia do sujeito, isso vale para pessoa doente e para a neurótica, sendo que o que distingue uma da outra é a adaptação da normal os instintos a realidade.
Os instintos de autopreservação se sobrepõem aos sexuais, porem os sexuais também pode ser adaptado a realidade, o primeiro é mais importante porque se não for satisfeito o sujeito morre por isso é intolerável e os do sexo podem ser reprimidos e sublimados já os de autopreservação não, esses só podem ser satisfeitos de modo real à medida que os sexuais podem ser por meio de fantasias.
A mutabilidade dos impulsos sexuais é a chave do entendimento da vida psíquica neurótica e saudável que permite dar as massas satisfações necessárias que são socialmente requeridas e acessíveis do ponto de vista da classe dominante.
A adaptação passiva e ativa do dispositivo biológico, instintivo a realidade social é o conceito fundamental da psicanálise e toda exploração dessa concepção de psicologia individual desenvolve-se.
O instinto é a força motivadora, o inconsciente é a origem da ideologia e padrão de comportamento é inevitável que aparecesse a tentativa de avançar dos problemas do individuo para o social, tentando empregar técnicas da psicanálise a fim de investigar os comportamentos irracionais da vida societal encontrados na religião, política, tradição e educação.
Se os instintos e o inconsciente eram as chaves para o entendimento do comportamento humano, então está habilitada para dizer algo sobre o comportamento social, pois a sociedade consiste em indivíduos que estão sujeitos as mesmas leis psicológicas descobertas pela psicanálise.
Por isso é errôneo limitar a psicanálise ao individual, o fato de um fenômeno ser estudado em sociologia não implica que não possa ser objeto da psicanálise, a tese que afirma que a psicologia trata apenas o individuo e a sociologia ao social é falsa.
Freud nunca falou sobre o homem isolado e desprovido de círculos sociais como o objeto da psicologia, porém Freud rejeitou a psicologia social que tratava do instinto social ou que o objeto de estudo fosse o grupo, pois para ele qualquer grupo é composto de indivíduos e somente os indivíduos são donos das propriedades psíquicas. Para ele atributos sociais se devem a influencia ambiental sobre os instintos.
Freud diz que os instintos podem ser modificados e diz que o meio é fator modificador.
Por isso a psicanálise parece incluir pressuposições que viabilizam a aplicação em psicologia social que denegam a existência de qualquer conflito com a sociologia.
A psicologia social analítica procura investigar os instintos de um grupo, seu comportamento libidinal e predominantemente inconsciente em função de sua estrutura sócio econômica.
A família é o meio através do qual a classe social imprime-se na criança, a família é o agente psicológico da sociedade.
As obras que tentam ligar a psicanálise aos problemas sociais fracassam porque ignoram o fato que a própria família é o produto de uma estrutura social e agente psicológica da classe que ela provem.
Os autores foram ludibriados por conceitos burgueses que converteram a sociedade burguesa e capitalista num absoluto e mais ou menos consciente em sociedade normal, que suas condições e fatores eram típicos da sociedade geral.
Mas o que causou o erro foi o foco nos membros saudáveis e doentes da classe media, esses tem os mesmos antecedentes da classe burguesa.
Ao remover os problemas psíquicos resultantes desta experiência a psicanálise cumpriu seu dever e transformou o paciente em ser humano ajustado a ordem social vigente.
A psicanálise focaliza a estrutura da sociedade burguesa e sua relação família patriarcal como situação normal, obedece a critérios da psicologia individual, aprecia as diferenças individuais em função dos traumas fortuitos que atingem os homens individualmente considerados.
Passaram a analogizar ou invés de analisar, começaram a tratar uma sociedade como individuo transpunham os mecanismos específicos encontrados em indivíduos para todos os tipos de sociedade e explicavam a estrutura psíquica dessas com certos fenômenos que eram típicos de seres humanos.
Os fenômenos da psicologia social devem ser entendidos como processos que envolvem a adaptação ativa e passiva do dispositivo instintivo à situação sócio econômica, sendo a família o meio essencial através da qual a situação econômica exerce a sua influencia normativa sobre a psique do individuo.
A tarefa da psicologia social é explicar as atitudes e ideologias psíquicas compartilhadas e socialmente relevantes, além de suas raízes inconscientes, em particular a influencia das condições econômicas sobre os impulsos da libido.
A idéia de que o instinto aquisitivo é o motivo básico do comportamento humano é filha espiritual do liberalismo burguês usado como argumento contra a realização do socialismo.
O materialismo histórico vê a historia como processo de adaptação ativa e passiva do homem as condições naturais que o cerca.
O trabalho é um processo entre a natureza e o homem, um processo que o homem medei, regula e controla sua interação com a natureza através de suas próprias ações.
A psicanálise pode nos dizer como as ideologias moldam a sociedade, o impacto de uma idéia depende essencialmente do seu conteúdo inconsciente que apela para certos impulsos que e que determina o efeito social de uma ideologia.
A tarefa da psicanálise consiste em analisar os impulsos libidinais socialmente relevantes, descrever a estrutural lidibinal de uma sociedade e explicar a origem dessa estrutura, assim como sua função no processo social.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.