Acreditamos que o ensino tradicional jamais cairia, mesmo sendo passivo, isolado sem estabelecer a ligação entre os alunos e o cotidiano. Mas atualmente o que vemos é a tecnologia da informação se impor sobre essa questão.
Antes as informações se restringiam a livros, revistas e jornais, mas hoje não há limites ou barreiras, as informações são instantâneas e de fontes variadas e por isso o ensino tradicional sofre pressão para que entre na era da virtualidade.
A tecnologia da informação coloca o aluno no contexto dos acontecimentos, seja em qualquer período ou espaço, correlaciona e integra assuntos das disciplinas com a realidade cultural do estudante.
Nesse sentido, há uma tendência a envolver o estudante no cotidiano em que aplica as disciplinas ministradas, sem perda de identidade, contexto histórico e sem romper vínculos. A tecnologia da informação tem um papel inovador e fundamental na aproximação das pessoas com diferentes culturas, sociedades em qualquer tempo apresentando novas didáticas e metodologias de ensino.
Esse movimento resulta das novas possibilidades de se erradicar mais rapidamente o analfabetismo mais rapidamente enquanto se amplia as possibilidades de abrir números de vagas a cada vez maiores na área universitária. As novas formas de comunicação possibilitadas pela TI suportam o surgimento de novas linguagens, de novas formas de montar e fazer negócios geram novos empregos entre outras coisas.
É certo que podemos encontrar diferentes conceitos de cultura. Na visão antropológica cultura é o ambiente social que o homem constrói e transmite as crenças, valores e representações. Na visão funcionalista enfatiza-se os padrões de conduta ou comportamentos. Na estruturalista a cultura está relacionada a forma de comunicação e se faz por meio dos signos, na visão interpretativa é como na estruturalista, entretanto, é dinâmica.
Independentemente do conceito adotado o fato é que o homem é um ser cultural que elabora as formas de comunicação, criando, inovando, elaborando e implemetando essas novas ideias. Sabemos que a realidade é fundamentada pela produção e consumo e dessa forma a realidade é comunicada através de símbolos que compõem um único elemento onde a realidade é comunicada através dos símbolos ao sentido semântica que podem fazer com que toda realidade seja percebida de modo virtual.
Diante disso todos os tipos de mensagens estão incluídas neste meio que é tão abrangente, diversificado, maleável e capaz de absorver no mesmo texto de multimídia toda experiência humana – passado- presente – futuro.
A Ti é capaz de incluir e abranger todas as expressões culturais, permitindo integração a todas as comunicabilidade e socialização da informação, permite a diversificação de expressão, diversidade de interesses, valores, imaginações e conflitos sociais. Entretanto, para que isso ocorra precisamos adaptar sua lógica, sua linguagem, seus pontos de entrada, sua codificação e decodificação.
Velhos hábitos morais, religiosos, autoritários e ideológicos políticos se enfraquecem diante desse novo modelo de comunicação. Por meio desse modelo é possível se comunicar, interagir e penetrar diretamente com os telespectadores e usuários das redes. Promove uma transformação radical na vida humana, pois os lugares ficam dissociados de seu sentido histórico cultural, espacial ou geográfico, substitui espaços e lugares, pois o passado, presente e futuro podem ser programados para interagirem entre si na mesma mensagem.
Estamos discutindo o processo de aprendizagem, a quebra de paradigmas no ambiente educacional, mas o que se percebe é que a prática pouco mudou no Brasil, pois só agora começou-se a inserir nos currículos a interdisciplinaridade e a contextualização, pois as escolas estão sendo pressionadas para preparar não apenas cidadão, mas cidadãos éticos, responsáveis, dando condições de adaptar os alunos a essa nova realidade.
Os alunos devem ser criativos, autônomo, capazes de atuarem em equipes, de tomar decisões, de executarem diversas tarefas, de terem maturidade intelectual, pensamentos críticos e habilidade para solucionara problemas.
Os autores inserem no texto o conceito de Morin sobre transdisciplinaridade o que é de fato extremamente interessante, pois o conhecimento seria em tal nível que seria praticamente impossível haver barreiras entre as disciplinas. Para Morin a interdisciplinaridade, a contextualização deve ocorrer agregado a transdisciplinaridade.
É nesse caminho que podemos criar uma educação mais humanística, ética pautada por princípios e caracterizada por valores, desenvolver uma educação mais ampla, inclusiva e humana, tolerante e consciente de que vivemos em natureza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.