Dizem que o silencio é de ouro, mas na verdade a palavra que é, porque uma vez dita é forjada e dourada, queima e destrói como também cura as corrupções da matéria.
O provérbio que diz que o silêncio é ouro deve ter sido criado pelos governos despóticos, pois isso parece com truculência dos tiranos que sem silêncio não impõem escravidão.
Coitado daqueles que abdicam do uso da palavra, pois serão reduzidos as cinzas, já que a palavra é arma mais poderosa do homem contra a injustiça e a oposição.
Mas se os cidadão souberem o peso da palavra não há quem os consiga privar, pois sempre alguém poderá levantar a voz em meio ao povo e clamar contra o tirano, eles sabem que se matar alguém do local por este ter usado a palavra, terá que matar todos, pois todos repetiram como um eco, e o tirano sabe que não pode matar a todos, tendo em vista que ele mesmo deixará de existir como tirano.
Onde houver alguém capaz de falar contra a opressão e a prepotência, o déspota será despojado de seu poder.
Até o homem arrastado ao cárcere pode ir clamando pelo caminho, quando chegar ao calabouço seu protesto será um couro que queimará os ouvidos dos magistrados.
Se cortarem a língua de um homem, mesmo assim ele poderá gesticular, se cortarem os braços ele poderá falar com os olhos que serão traduzidos em sons e palavras.
Todos devem usar a palavra permanentemente para corrigir os erros do mundo.
O silencio não é ouro, ouro é a palavra corajosa que impede a perdição da nossa cidade que está submersa pelos erros dos tiranos por falta de uma palavra.
Uma palavra nossa que dure tanto quanto ouro e que queime tanto quanto o fogo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.